Review: “Lens” S02E06 – The Leftovers

The Leftovers, pare de tratar assim meu coração.

Spoilers e mais spoilers a seguir.

Eu sei que The Walking Dead é o post que mais tem acesso na semana, sei que os de The Leftovers são os que menos têm, mas dane-se. Foi “Lens” o episódio que me fez tremer, sair do meu torpor diário e ficar maravilhado com o que eu assistia.

O episódio girou em torno das personagens femininas da série, Nora e Erika, cada uma com seu drama relacionado às partidas. Foi o primeiro momento em que vimos mais de Erika e eu nem sei como descrever a montanha-russa que foi esse episódio em relação a ela. Vimos a personagem contida e retraída na própria existência triste, só para depois vermos uma desconstrução brutal e violenta dela, enquanto ela admitia a desesperança e a culpa. Ela teve três GRANDES cenas: a da perseguição (e eu nem sabia que a personagem era surda), a do desabafo durante o evento e a terceira com ela revidando o “ataque” de Nora, com aquela expressão no rosto. Regina King foi impecável aqui.

Culpa que Nora também sente, já que desde o desaparecimento dos filhos ela nunca se perdoou pelo que ela estava sentindo no momento em que eles sumiram. “Lens” também trouxe de volta a discussão sobre a causa das partidas, primeiro com uma teoria de que há pessoas que são “lentes” que causam o desaparecimento de pessoas próximas (hilariamente destruída com a menção ao demônio Azrael que me fez rir alto) e depois com um questionário assustadoramente revelador sobre as partidas secundárias.

Assustador para nós e para as personagens, que ficaram de olhos arregalados com as questões se aplicando à situação e criando um ar de tensão absurdo, que culminou com o início de uma guerra entre as duas. Fato é que, se Regina King brilhou ao revelar um lado de Erika que não conhecíamos, Carrie Coon (como sempre) brilhou por simplesmente fazer o trabalho dela. Ela é uma atriz absolutamente incrível e a mudança na expressão dela ao ser confrontada por Erika foi indescritível.

“Lens” foi um dos episódios mais reveladores da série. Relações entre personagens foram esclarecidas, questões deixadas anteriormente foram respondidas e outras, mais recorrentes, foram retomadas de maneira genial, me deixando arrepiado com as conclusões que podem ser tiradas a partir do que foi sugerido aqui. E o mais legal é que eu SEI que não haverão respostas conclusivas para nada disso, o que me agrada ainda mais.

Ponto alto: as atuações de Regina King e Carrie Coon, monstruosas e ao mesmo tempo com sutilezas.

Ponto fraco: não vejo. Foi um episódio perfeitamente dosado e equilibrado.

Nota: “Lens” – 10.0

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s