Review: “Orange Sticker” S02E04 – The Leftovers

The Leftovers soou como a primeira temporada, e nem por isso foi ruim.

Spoilers não foram tragados por vórtices existenciais a partir do próximo parágrafo.

Depois da destruição absoluta que foi “Off The Ramp”, o quarto episódio da temporada de The Leftovers não teria como manter o mesmo impacto do anterior. Voltamos aos Garvey logo após o sumiço de Evie e o terremoto e acompanhamos os três lidando com a nova situação.

Nora mais uma vez mostra o motivo de ser a minha personagem preferida da série. Ela passou de assustada para aliviada e aparentemente emputecida em uma cena, lidando com o medo de se ver novamente perdendo alguém que ama repentinamente. A cena inicial, com o desespero dela procurando Kevin, vendo o cachorro solto com a coleira (um elemento que depois ela até fez menção ao conversar com Jill) e enfim concluindo que Kevin tinha partido foi incrível. Eu também AMEI a atitude dela no final, de se algemar a ele para evitar que ele saia por aí nas crises de sonambulismo (apesar de achar que ela pode acordar com a mão sendo arrancada).

Kevin continuou sendo assombrado por Patti, que aparentemente é mesmo real e pode ser vista por pelo menos uma outra pessoa, e descobriu que de fato tentou se matar (dã) e que as meninas realmente desapareceram (e não foram tragadas pelo lago, como eu tinha imaginado a princípio). Ele também teve mais contato com John, salvando a vida do amiguinho, que provavelmente não vai ser tão amiguinho quando a impressão na porta do carro for identificada.

Jill teve momentos menores, mas significativos, com a atração por Michael, o filho dos Murphy (e eu também estaria bem atraído viu gente, que homem) e a cena super forte ao fim do episódio com o rapaz arrancando da porta o adesivo que indica que naquela casa ninguém partiu – porque ele, inteligentemente, já sabe que foi sim uma nova partida, curiosamente seletiva.

Achei interessantes as histórias contadas (e não mostradas) no episódio: Nora contando sobre pessoas que usam a partida como uma desculpa pra fugir; Patti contando sobre o marido com fetiches bizarros e, principalmente, a história de Matt sobre a recuperação de Mary.

“Orange Sticker” não foi o absurdo do episódio anterior, mas manteve a trama andando e girou em torno da suposta segurança oferecida pela cidade.

Ponto alto: Nora e o drama muito palpável de perder novamente alguém que ama.

Ponto fraco: alguns elementos foram meio clichês e eu fico pensando como Kevin não imaginou que colocar a mão no carro era um erro.

Nota: “Orange Sticker” – 9.0

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s