Review: “Thank You” S06E03 – The Walking Dead

Assim não dá, não dá pra seguir desse jeito não, The Walking Dead. Eu tô é com MEDO do resto da temporada.

Spoilers devoram qualquer um que vá além desse parágrafo sem ter assistido ao episódio.

É sério! Não leia se não assistiu.

Eu avisei.

Pois é, aconteceu. Não precisou de Negan, nem de taco de baseball, o Glenn morreu de uma maneira terrível, mesmo que o corpo do Nicholas tenha caído sobre ele e o ângulo dê a entender que o que a gente viu tenham sido as vísceras do Nicholas sendo arrancadas, não vejo maneira do personagem mais fofo da série ter sobrevivido porque, afinal, eram trocentos walkers ao redor dele. Sei que tem muitas informações dos bastidores que dão a entender que ele não está morto, mas, por enquanto, meu coração está em pedaços.

“Thank You” seguiu, inesperadamente, a trama a partir do ponto em que tinha parado no primeiro episódio, com o grupo tentando impedir que a horda chegue a Alexandria. Rick manteve a postura mais dura e disse que Glenn e Michonne não perdessem tempo tentando salvar os alexandrianos, o que foi uma dica inteligente visto tudo que aconteceu a seguir. A inaptidão dos pobres coitados custou a vida da maior parte deles e de Glenn, que se sacrificou inutilmente tentando desviar a horda.

Michonne teve um grande momento no episódio, digno do desenvolvimento da personagem que tem rolado desde aquele ponto em que ela deixou de ser só uma moça com raiva. Danai Gurira me fez ficar arrepiado com a atuação incrível enquanto dizia a Heath (outro personagem que tem tido um bom desenvolvimento) que ele não sabe de fato o que é estar lá fora até que esteja coberto de sangue de uma maneira que não saiba se é sangue dos próprios amigos ou dos walkers.

Daryl também teve um momento forte ao ficar dividido entre voltar para Alexandria e ajudar ou ficar e continuar afastando a horda, mas tinha pouca coisa que ele podia fazer em cima da moto, e assim ele permaneceu.

Rick é que sofreu as consequências da burrice de Morgan no episódio anterior, tendo que matar o grupo de Wolves que o amigão do bastão deixou ir embora com uma arma, mas não sem que eles impedissem que o trailer em que estava desse partida, o que deixou o protagonista numa situação no mínimo tensa: com a mão ferida (que aposto que ele vai perder) e ilhado num veículo com metade de uma imensa horda de walkers ao redor.

Eu ainda estou sofrendo pela morte (ou não) de Glenn, e admirado com a ousadia da série de seguir uma trama assim na temporada, com os eventos acontecendo em rápida sucessão. Eu entendo que alguns fãs não aceitem a morte dele, ainda mais por ter sido diferente dos quadrinhos (e vou achar ótimo se no fim das contas ele estiver vivo), mas “Thank You” foi um daqueles episódios, como “Conquer”, “No Sanctuary”, “A”, “Too Far Gone” e “Pretty Much Dead Already”, para mim os melhores da série. E pensar que tudo isso aconteceu num espaço de mais ou menos uma hora (só lembrar que no final de “JSS” a caçarola que a Carol estava fazendo ficou pronta) e ainda tem mais!

Ponto alto: tudo. A surpresa da série se manter nos eventos que iniciou no primeiro episódio em um ritmo tenso, os momentos terríveis, a (provável) morte de Glenn e as atuações, principalmente de Danai Gurira como Michonne. E acredito que foi a primeira vez que os únicos (aparentes) sobreviventes são todos personagens negros!

Ponto fraco: tem? Eu não vi.

Nota: “Thank You” – 10

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s