Review: “Cooked” S07E03 – The Good Wife

Assistir The Good Wife é um prazer. É como se toda a semana fosse compensada pelos 40 minutos em que eu sento no sofá para rever Alicia Florrick e companhia. E “Cooked” foi mais um episódio excelente.

Spoilers que podem ou não ser agentes do FBI estão nos próximos parágrafos.

“Cooked” foi um episódio típico da série, tanto no formato quanto no uso de humor. Seguindo a trama da temporada até agora, a maior parte se passou no tribunal de fianças, com Alicia e Lucca trabalhando juntas, dividindo o tempo com a campanha de Peter e Eli e com a firma que eu nem sei mais o nome, que dessa vez foi mais interessante.

Comecemos por ela, que mesmo tendo sido melhor que nos anteriores, continua desconectada da trama principal e um pouco sem graça. Howard Lyman, insuportável como sempre, continua causando problemas, dessa vez para Alicia e Diane, que agora estão brigadas. Howard teve momentos divertidos de romance com Jackie (WTF) e parece que acordou pra vida. O que é legal, mas eu não tenho nenhum interesse por ele.

O forte desse “núcleo” foi Diane, que finalmente teve material digno depois de dois episódios apagada e quase sem falas. O meu momento preferido foi ela conversando com Alicia, com uma expressão quase encantada no rosto ao ver a colega começando de novo, empolgada e livre das amarras e preocupações de uma firma grande. A cena da briga também foi boa, mas foi no mínimo estranho Diane achar que Alicia estava contra ela especificamente, visto tudo que aconteceu.

Alicia, por sua vez, teve um caso incrível. O que era um simples caso de produção de drogas (melhorado pelo fato do réu ter criado propositalmente uma versão da droga que não causaria uma overdose) tornou-se um caso tenso em que nada parecia certo. A resolução foi inteligente e conectou bem as tramas principais da temporada, já que Eli se aproveitou da situação para conseguir munição contra Frank Landau e, consequentemente, contra Peter.

Lucca mais uma vez teve bons momentos, apesar de eu ainda estar esperando um episódio que nos faça conhecê-la melhor. Ela claramente está se encaminhando pra ser uma sócia para Alicia e isso é empolgante.

Mas o melhor do episódio foi, sem dúvidas, Eli. Colocado por Ruth num escritório minúsculo em que não cabem mais de duas pessoas ao mesmo tempo e que a porta repetidamente se chocava contra a mesa num efeito cômico maravilhoso, ele atendeu à exigência dela para que Alicia e Veronica, sua mãe, participassem de um ridículo reality show em que as duas cozinhariam juntas. Óbvio que o resultado foi catastrófico, e Eli se aproveitou disso. Eu aproveitei que estava em casa e ri alto, como não fazia há tempos na série.

Alan Cumming foi excelente, com as expressões de raiva, conformação dissimulada e, finalmente, sorrisos maliciosos ao conseguir o que queria. É verdade que ele está usando Alicia e isso provavelmente vai se voltar contra ele, mas vê-lo nessa rota de vingança com planos elaborados está sendo ótimo.

“Cooked” mostrou porque amar The Good Wife é inevitável.

Ponto alto: Alan Cumming incrível como Eli e sua vingança em andamento. E Diane recebendo material bom.

Ponto fraco: Howard Lyman, até quando?

Nota: “Cooked” – 9.5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s