Pós-Battles: The Voice Season 5

Cagadas, acertos, steals desperdiçados e a edição porca do programa sempre fazendo tudo ficar pior… isso resume o que foram as battles desta temporada do The Voice.

Para esse post eu selecionei (pelo meu gosto, foda-se o gosto de vocês) as 5 melhores batalhas e fiz novamente um ranking. Por esse ranking dá para ver o quanto cada um enfraqueceu ou fortaleceu o time. Exceto por um caso, sobre o qual eu vou falar lá embaixo.

5. Some Kind of Wonderful (Ray Boudreaux vs. Monika Leigh)

Foi uma burrice bem grande do Blake colocar esses dois um contra o outro, mas pelo menos rendeu uma batalha excelente e um bom steal para o Cee-Lo, que abocanhou a Monika após a vitória merecidíssima do Ray. Ele já era um dos meus preferidos após a audição, mas agora se elevou ainda mais. Esse blue-eyed soul dos dois é algo meio raro em reality shows musicais, que preferem o soul de cantores negros com vozeirões, então eu espero que ambos vão longe na competição.

4. I Don’t Wanna Miss A Thing (Kat Robichaud vs. R. Anthony)

Uma pena que o R. Anthony tenha sido eliminado, mas a Kat realmente matou a pau na performance, ainda que a música seja meio ingrata. Não tem como ignorar a desenvoltura dela no palco, especialmente naquele momento em que ela anda na direção dele a passinhos rápidos. A Kat tem tudo para se dar bem nos live shows, desde que role um momento a la True Colors da Michelle Chamuel, em que ela mostre algo mais vulnerável e ao mesmo tempo exiba melhor a voz.

3. My Songs Know What You Did In The Dark (Matthew Schuler vs. Jacob Poole)

Eu tinha ficado meio ressabiado com o fato do Matthew ser ex-cantor de igreja, mas essa batalha acabou com as minhas dúvidas. O cara é um cantor impecável e ainda por cima tem uma afinidade grande com músicas alternativas, o que o distancia do estereótipo ainda mais. Jacob foi bom, mas não tinha como ganhar. Com isso, o Matthew se tornou oficialmente um dos meus preferidos.

2. Refugee (Jonny Gray vs. Shawn Smith)

O Tom Petty é um dos cantores que eu só conheci por causa do The Voice, quando na primeira temporada o Blake cantou I Won’t Back Down com a Dia Frampton. Quando o Cee-Lo escolheu Refugee pra batalha desses dois, já fiquei feliz, e eles não decepcionaram. Foi a melhor batalha da última noite e o Jonny foi infinitamente melhor que na audição. Cee-Lo escolheu bem.

1. As Long As You Love Me (Caroline Pennell vs. Anthony Paul)

Ah, Caroline… eu gosto bastante dessa música do Bieber, e adoro quando fazem versões lentas assim, mas a Caroline levou tudo pra outro nível e, novamente, pegou uma música que não tem nada a ver com ela e fez parecer com as que ela compôs no EP maravilhoso The Race. O Anthony serviu só para atrapalhar mesmo (apesar de ter cantado bem), e a Caroline é, atualmente, minha preferida.

Menções honrosas: Radioactive (James Wolpert vs. Will Champlin), Best I Ever Had (George Horga Jr. vs. Juhi) e The House Of The Rising Sun (Jacquie Lee vs. Briana Cuoco)

Certo, agora vamos à uma análise rápida da situação de cada time. O Adam enfraqueceu o próprio time ao eliminar a Donna Allen e o Matt Cermanski e por ter tomado a decisão absurda de colocar o James Wolpert contra o Will Champlin. Além disso, o fato dele estar rotulando o Preston Pohl como um cantor de soul desanima. Já o Cee-Lo, que já tinha um time excelente, fortaleceu bastante mantendo Kat Robichaud e Jonny Gray, além dos steals da Monika e da Stephanie. Christina é que se beneficiou mais dos battle rounds: escolheu músicas boas, com bons pareamentos e ainda foi beneficiada pela edição da NBC, que não cortou nenhuma de suas batalhas. Para completar, ela conseguiu o melhor steal da temporada, salvando o Will Champlin (vencedor moral da batalha contra o James). Já o Blake foi o mais prejudicado pela edição, já que teve nada mais nada menos que três batalhas cortadas, incluindo a dos preferidos Holly Henry e Brandon Chase. Os steals não foram grandes coisas: Nic Hawk é um cantor meia-boca afetadíssimo que vai ser escorraçado do programa se chegar aos lives, e a Briana Cuoco é uma boa cantora que ainda não mostrou todo o potencial no programa. A cereja no bolo é que ele escolheu alguns pareamentos bem porcamente e ainda errou nas escolhas de músicas.

TEAM ADAM 65,5

  1. Juhi 9,0
  2. James Wolpert 9,0
  3. Lina Gaudenzi 9,0
  4. Grey 8,5
  5. James Irwin 8,0
  6. Preston Pohl 8,0
  7. Ashley Dubose 8,0
  8. Tessanne Chin 6,0

TEAM CEE-LO 69,5

  1. Caroline Pennel 10,0
  2. Kat Robichaud 10,0
  3. Jonny Gray 9,5
  4. Monika Leigh 9,5
  5. Stephanie Anne Johnson 9,0
  6. George Horga Jr. 8,0
  7. Cole Vosbury 7,5
  8. Tamara Chauniece 7,0

TEAM XTINA 69

  1. Matthew Schuler 10,0
  2. Will Champlin 10,0
  3. Jacquie Lee 9,5
  4. Josh Logan 8,5
  5. Amber Nicole 8,5
  6. Olivia Henken 8,5
  7. Destinee Quinn 8,0
  8. Anthony Paul 6,0

TEAM BLAKE 64

  1. Ray Boudreaux 10,0
  2. Austin Jenckes 9,0
  3. Holly Henry 8,0
  4. Brandon Chase 8,0
  5. Briana Cuoco 8,0
  6. Nic Hawk 7,0
  7. E.G. Daily 7,0
  8. Shelbie Z 7,0
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s